quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Riquezas Reais: texto introdutório ao Acampamento de Verão (AV) 2018

Neste ano temos estudado a temática da “riqueza”, que envolve reflexões acerca do dinheiro, da ganância e cobiça humanas e do valor que conferimos a tudo o que se encontra ao nosso redor. Em nossos Cursos de Férias, com o tema “Curta Vida”, nos debruçamos no livro de Eclesiastes, no qual aprendemos que “quem ama o dinheiro jamais terá o suficiente; quem ama as riquezas jamais ficará satisfeito com os seus rendimentos” (Ec 5:10) e que as coisas que batalhamos para ajuntar na verdade devem ser dons de Deus, e é ele, e somente ele, que nos enche o coração de alegria. E para encerrar o nosso ciclo formativo no Acampamento de Verão (AV) e Instituto de Preparação de Líderes (IPL ) 2018 estudaremos o Evangelho de Lucas sob o tema “Riquezas Reais”.

Veremos que Lucas volta sua atenção especialmente para a humanidade de Jesus, sua compaixão para com os fracos, os aflitos e os marginalizados. O autor também trata da relação com o dinheiro em parábolas como a do “rico tolo” (Lc 12:13-21), do “administrador infiel” (Lc 16:1-13) e do “rico e Lázaro” (Lc 16:19-31), nas quais, apesar de reconhecer que as pessoas têm necessidades materiais, Cristo enfatizou que a nossa maior prioridade deve ser sempre Deus.

"Ninguém pode servir a dois senhores: com efeito, ou odiará um e amará o outro, ou se apegará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e ao Dinheiro" (Lucas 16:13).

A intenção de Jesus aqui é transmitir um ensinamento sobre fidelidade e honestidade. Duas palavras que caminham de mãos dadas. E o que Jesus quer dizer é que se um cristão consegue se comportar de maneira fiel negando algo de procedência injusta, é provável que ele seja capaz de se comportar bem diante de uma riqueza que provém de Deus. O nosso comportamento em relação ao dinheiro é o termômetro que mede como nos comportamos com as coisas essenciais da vida, pois revela o nosso caráter e afeta o nosso relacionamento com Deus.

"E disse ao povo: Acautelai-vos e guardai-vos de toda espécie de cobiça; porque a vida do homem não consiste na abundância das coisas que possui." (Lucas 12:15)

Há algo importante aqui que parece não ser levado em consideração por muitas pessoas: não nos será permitido partir desta vida com nenhum bem material. O dinheiro, o poder, os bens materiais, não são as “Riquezas Reais” que devemos buscar. No Reino de Deus as pessoas são mais importantes que as posses. Os relacionamentos são as verdadeiras riquezas. Então eu te pergunto: quais tesouros você tem ajuntado? Qual o real desejo do teu coração?

Devemos tomar cuidado com a ganância, e manter o nosso coração nos tesouros do Reino de Deus. Em muitas ocasiões, somos alertados quanto ao perigo de termos um coração exercitado pela avareza, pois fazer das riquezas, para além do  dinheiro, o propósito das nossas vidas é um erro fatal que nos leva à perdição eterna. Portanto, “seja a vossa vida isenta de ganância, contentando-vos com o que tendes; porque Ele mesmo disse: não te deixarei, nem te desampararei” (Hebreus 13:5).
Por fim, quero te convidar a reservar um tempo para que, juntos, possamos estudar e aprender mais sobre essas Riquezas Reais no AV e IPL 2018, que acontecerá em Vila Velha (ES).

Até breve!
Nilsa de Oliveira - Secretária de Formação da ABUB